AGRICULTURA

Água municipal de Limeira

Debate aberto ao público mostra como pensam os limeirenses que apóiam beneficiar produtores rurais que contribuam para preservação.

Edição 148 - Abril 2014

Mesa - Foto:Marcel Menconi
Mesa:Secretário de Meio Ambiente de Limeira Alquermes Valvassori, Vereador Jorge de Freitas, Presidente do Serviço de Agua e Esgoto de Limeira Osmar da Silva Jr e presidente da Concessionária de Água e Esgoto Tadeu Ramos.
Realizado como o 1º encontro Municipal de Águas na Câmara Municipal, o evento foi organizado pelo vereador Jorge de Freitas, objetivando um debate aberto ao público sobre medidas para combater o desperdício de água no município de Limeira. Os convidados para esse debate foram o secretário de meio ambiente de Limeira Alquermes Valvassori e o diretor da Foz do Brasil Tadeu Ramos. Também estavam presentes representantes de instituições de proteção ao meio ambiente, produtores rurais, profissionais ligados ao setor rural e ambiental, além do presidente do SAAE, o engenheiro agrônomo Osmar da Silva Júnior.

O vereador Jorge de Freitas falou sobre dois projetos enviados para apreciação do plenário legislativo que tem como tema multar os usuários que usam indevidamente a água e outro aborda a necessidade de se implantar campanhas educativas e institucionais no município de Limeira. “O objetivo dessa reunião, é ter subsídios para adicionar aos projetos e levantar outras necessidades com tema ‘água’ tanto para economizar quanto para aumentar a qualidade desse recurso em Limeira”, disse o vereador Jorge de Freitas. “Temos feito desde 1995 campanhas e palestras com o foco para o meio ambiente, que vai desde o uso racional da água até como é devolvido as coisa para o meio ambiente (descarte), óleo, lixo, etc. No ano passado falamos para 23.000 pessoas sobre sustentabilidade e educação ambiental em nossas práticas”, abordou Tadeu Ramos diretor da Foz.

Encontro das Águas
O secretário Alquermes Valvassori disse que a gestão do prefeito Paulo Hadich tem trabalhado as secretarias com o mesmo foco, “iremos fazer no dia 03 de abril o ‘1º Fórum do Encontro das Águas’, para trazer ao conhecimento da população as micro bacias existentes em Limeira. Vamos mapeá-las sintonizando com os municípios vizinhos, que estamos convidados os prefeitos e secretário da região a participarem desse fórum, porque, às vezes, o problema não é só de Limeira. Queremos envolver as pessoas nesse tema. Pela secretaria de meio ambiente temos feito cartilhas para trabalhar na casa das famílias da porta para dentro, na reeducação, onde conseguiremos reverter a situação. A ideia da cartilha é ler e não guardar mas sim passar adiante para vizinhos e conhecidos que venha a somar nessa preocupação e o fórum é o lugar no qual as pessoas poderão se expressar suas ideias e socializar com uma ação exitosa. São pequenas contribuições que eu acredito que trarão resultados”, citou o secretário Alquermes. O 1º Fórum do Encontro das Águas será realizado no ISCA Faculdades às 18:30, quinta-feira, 03 de abril.

Osmar da Silva Júnior, presidente do SAAE, destacou o resultado do trabalho realizado pela concessionária Foz Limeira em relação ao controle de perdas físicas do sistema de abastecimento de água da cidade, “acredito que, juntamente com o SAAE, se não tivesse tido essa visão a tarifa de água em Limeira seria uma das mais caras”, citou Osmar. Segundo ele, outro fator importante é a preservação do ribeirão do Pinhal, e o trabalho em conjunto da Prefeitura e a Comissão de Gestão da Área de Proteção e Recuperação dos Mananciais – ZPM (ver matéria publicada no Jornal Pires Rural edição 147), “isso pode ter uma ação mais efetiva para ser auto sustentável o abastecimento de água em Limeira”, observou. Concluindo Osmar frisou, “quero propor um desafio ao nosso governo em parceria com a Foz, em tentar estudar a construção de um reservatório de água bruta, para que no momento de possíveis crises, possamos nos manter por um tempo”.

Participação popular
O ex-vereador Mário Botion usou a palavra livre para se manifestar dizendo, “quero deixar minha sugestão para o poder executivo criar o programa ‘conservador de águas’, que serve especificamente para preservar as bacias hidrográficas de Limeira, principalmente, no ribeirão do Pinhal. Esse programa já existe em vários municípios e temos que socializar a forma de proteção do meio ambiente ou de patrimônios históricos de forma que todo mundo dê sua contribuição. No caso da água o programa ‘conservador de águas’ nada mais é do que fornecer aos proprietários, que tenham suas terras cortadas por cursos d´águas, uma remuneração para manter a nascente, o curso d´água e melhorar e preservar as condições dessa água. É um programa que depende do poder executivo porque há desembolso de verbas”, sugeriu Mário. O cidadão Guto Rodrigues apresentou um projeto que utiliza em sua residência água pluvial nas descargas do vaso sanitário, “desde 2004, fiz uma economia de 41% de água na minha casa e nunca mais usei uma gota de água tratada no vaso sanitário. Acho um desperdício muito grande água tratada indo para o esgoto. Esse projeto está pronto e quero elaborar junto com o Jorge de Freitas para que todas as residências de Limeira possam fazer o mesmo. Não é um projeto caro. É captar a água da chuva em um reservatório e levá-la até o vaso sanitário. Quero também deixar um convite para a Foz abraçar esse projeto”, destacou Guto. O secretário Alquermes disse que quando estava construindo a nova Igreja Sagrada Família, no Jardim Montesuma, foi construído um reservatório de 8 mil litros para captar água da chuva, “isso foi no ano de 1992”, falou Alquermes.Autorizada a reprodução desde que citada a fonte: Jornal Pires Rural - Limeira - www.dospires.com.br
O professor Dirceu Brasil, que já trabalhou na secretaria de meio ambiente de Limeira, praticamente concluiu o encontro dizendo, “não existe água em abundancia em Limeira. É um milagre ainda existir água na bacia do Pinhal, visto que a história agrícola que houve com a formação de mudas de laranja na beira do ribeirão, assoreou todos os reservatórios de água. O reservatório Tabajara foi extremamente assoreado, principalmente, depois das obras do aeroporto. Sempre alertei que Limeira está crescendo cada vez mais e o único patrimônio que a cidade tem é a bacia do Pinhal, que infelizmente está abandonada. É necessário tratar da recuperação das áreas de preservação, da conservação do solo, do plantio agrícola e que o produtor tenha incentivo através do programa ‘conservador de águas’. Enfim, temos que ter cabeças que dêem valor a bacia do Pinhal, e acredito que o papel da Foz não pode ser apenas captar água, ela tem uma responsabilidade pela bacia do Pinhal inteira. A concessionária faz algumas ações mas o diretor não falou isso aqui. A prefeitura e a iniciativa privada também tem responsabilidades nessa bacia. É necessário, em Limeira, assumir responsabilidades e juntar forças para nem agora e nem daqui 50 anos a cidade venha sofrer com a falta de água. Está na hora de regaçar as mangas e trabalhar porque de conversa eu já participei de muitas e nada se efetivou”, afirmou Dirceu Brasil. Autorizada a reprodução desde que citada a fonte: Jornal Pires Rural - Limeira - www.dospires.com.br
© 2013 - Jornal Pires Rural