REFLORESTAMENTO

ARIE Matão de Cosmópolis
comemora 30 anos

Criada por Decreto Presidencial em janeiro de 1985,
é a primeira área de relevante interesse ecológico do Brasil

Edição 168 - Abril 2015

Foto:ARIE Matão
Houve plantio de aproximadamente 61 mil mudas de espécies nativas nas Áreas de Preservação Permanente do entorno da Unidade de Conservação
Como parte das comemorações pelos 30 anos da ARIE Matão de Cosmópolis, sendo a primeira ARIE criada no Brasil, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, a Usina Açucareira Ester S.A. e a concessionária Rota das Bandeiras uniram esforços para o plantio de aproximadamente 61 mil mudas de espécies nativas nas Áreas de Preservação Permanente do entorno da Unidade de Conservação e que integram o Corredor das Onças na região. Parte da área priorizada para o plantio foi atingida por um incêndio em fevereiro de 2014, quando tivemos o verão mais quente e seco dos últimos cem anos.

A Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Matão de Cosmópolis é uma unidade de conservação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). Criada pelo Decreto Presidencial nº 90.791 de 09 de janeiro de 1985, é a primeira área de relevante interesse ecológico do Brasil, o objetivo de sua criação foi proteger a biota nativa que já era considerada, no ano de 1985, muito rara na região.

O Corredor das Onças é uma iniciativa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que visa à conservação da biodiversidade e melhoria da qualidade e quantidade de água no interior de São Paulo, uma das regiões mais industrializadas e urbanizadas do Brasil, por meio da reconexão de fragmentos florestais considerados hot spots de biodiversidade, a partir da restauração das margens dos rios e de suas nascentes. Nesse contexto, é importante destacar a importância da circulação da fauna na recuperação florestal: as espécies frugívoras (que comem frutos) podem circular em áreas abertas, como clareiras e bordas de mata, e, ao defecarem as sementes ingeridas, contribuem nos processos de regeneração da vegetação.
Foto:JPR
Usina Açucareira Ester S.A. e a concessionária Rota das Bandeiras uniram esforços para o plantio

Circulação da fauna
A proposta do Corredor das Onças é direcionar o plantio compensatório dos empreendimentos regionais para os corredores ecológicos a serem implantados, visando a reconexão dos hot spots de biodiversidade assim como a circulação segura da fauna. Trata-se, portanto, da implementação de ações integradas público-privadas visando à recuperação da biodiversidade da mata atlântica do interior e do cerrado paulista.
Sob essa perspectiva, faz-se necessário iniciar um processo de construção de uma carteira de propriedades rurais que teriam a recuperação de suas APPs e Reserva Legal efetivada por empreendedores que necessitem cumprir o Termo de Compromisso de Recuperação Ambiental – TCRA (instituído pela Portaria DEPRN nº 75, de 21 de dezembro de 2006) do seu empreendimento na região. Para tanto, não só os proprietários rurais e empreendedores da região precisam ser mobilizados e sensibilizados como também as propriedades rurais necessitam ser caracterizadas ambientalmente de forma a indicar o método mais apropriado, em cada uma delas, para recuperar a vegetação nativa e formar o corredor ecológico pretendido.

Márcia Gonçalves Rodrigues é analista ambiental e Chefe da ARIE Matão de Cosmópolis, também coordena o Corredor das Onças.
© 2013 - Jornal Pires Rural