EXTENSÃO RURAL

O Brasil é o quarto produtor de banana no mundo

Associação de Produtores Rurais do Bairro de Cascalho, em Cordeirópolis, recebeu mais curso de capacitação o “Cultivo da Banana”, pelo terceiro ciclo de palestra sobre a fruticultura da regional de Limeira. Durante o curso ministrado pelo professor Dr. João Aleixo Scarpare Filho, foi abordado técnicas do cultivo da bananeira, desde a importância de obter mudas sadias, até o desenvolvimento de cada muda para se transformar em bananeira. A presença do público foi grande, incluindo produtores de Cosmópolis, Araras, Limeira, Leme e Santa Maria da Serra.

Edição 152 - Junho 2014

Foto:Marcel Menconi/ JPR

O grande incentivador desse curso foi o agricultor e presidente da associação de produtores, Dito Paraná (Benedito José Ramos) que já está no cultivo da banana há 7 anos. “Hoje tenho meu parceiro ‘Vavá’, que domina o cultivo da banana, tendo adquirido experiência no Vale do Ribeira, ‘terra da banana’. Estamos juntos há 3 anos, numa área de 7 hectares com pouco mais de 11 mil pés plantados. Ainda tenho terreno para abrigar 2 mil mudas”, contou o produtor. Ainda segundo ele sua produção está voltada para abastecer a merenda escolar. “Quero dizer que a necessidade de abastecer as repartições públicas, como escolas, penitenciarias, hospitais, está sendo nossa oportunidade. Eu tinha laranja, mexo com um pouco de mandioca para mercado, mas a banana é o carro chefe e se precisar vou arrendar uma terra para trabalhar com uma quantidade maior para atender os programas de aquisição de alimentos”.autorizada a reprodução desde que citada a fonte: Jornal Pires Rural - Limeira - www.dospires.com.br
Seguindo a palestra o professor João Aleixo Scarpare Filho, cuja experiência engloba mestrado e doutorado em zootecnia pela Universidade de São Paulo, tendo ingressado na CATI em 1973, trabalhando em Tiete no núcleo de produção de mudas e sementes e hoje é membro gestor na Casa do Produtor Rural da ESALQ. Professor João começou abordando na parte teórica, dizendo como funciona a Banana para aos poucos ir introduzindo as técnicas de manejo e cultivo. “Ela é a fruta in natura mais consumida no mundo. O Brasil é o quarto produtor de banana no mundo e o vigésimo em exportação da fruta. Só conseguimos exportar para o MERCOSUL, para o mercado Europeu os números são poucos. Isso não se deve a falta de tecnologia, mas sim devido ao mercado ser fechado em cotas para as multinacionais americanas e as exportações nem sempre serem pagas com dinheiro, mas através de trocas de mercadorias”, declarou o professor. Sobre a fruta o palestrante ensinou que a “bananeira é uma planta completa, tendo caule, raiz, folhas, flores, frutos e sementes. As frutas consumidas hoje são mutações de bananas que originalmente possuíam sementes grandes”, destacou. Para uma penca de bananas se desenvolver leva-se em torno de 7 meses, após a colheita deve-se eliminar a planta, que em sua base já soltou brotos que devem ser eliminados, deixando apenas um para ter a continuidade do bananal. “Por isso chamamos de mãe, filha e neta, essa continuidade que deve existir no cultivo da banana”, pontuou. Para o caso de adquirir mudas de banana, todo cuidado é pouco, pelo fato da muda se desenvolver diretamente de uma planta adulta, essa pode ser arrancada de forma errada prejudicando a planta mãe e deformando o crescimento dessa muda arrancada. “A gema que desenvolve o pé de banana é o ponto principal, mas conseguir tirá-lo em uma muda é bem difícil, por isso o indicado é comprar mudas de bananas prontas em bandejas. Mas em todo caso, nunca se deve tirar mudas de plantas que vão produzir, espera ela produzir e depois tira a muda”, orienta João Aleixo.autorizada a reprodução desde que citada a fonte: Jornal Pires Rural - Limeira - www.dospires.com.br
foto:marcel menconi/JPR
Ao centro, professor Dr. João Aleixo Scarpare Filho, explica, na prática, técnicas para o cultivo da banana

A região apta para bananeira é aquela que é quente e úmida, chove cerca de 2.500 ml por ano e a temperatura é alta o ano todo, isso acontece na America central. “A região marginal é aquela que sempre tem um risco para o cultivo, como geada, por exemplo. Mesmo utilizando a irrigação, corre-se o risco de uma geada e perder a produção, estamos numa região com essas características”, lembrou o professor. Outro detalhe que a época certa para plantar banana é a partir de setembro, no inverno a planta não se desenvolve. “Na média, com 11 meses a planta solta o cacho, e depois de 4 meses é feita a colheita, portanto são15 meses após o plantio que poderá ser cortada a penca de bananas. A segunda colheita, da planta ‘filha’, geralmente é feita em 7 meses, e a terceira colheita, da planta ‘neta’, em 9 meses. No total, em 2 anos e meio acontecerão 3 colheitas de bananas. O rendimento do bananal nos primeiros 3 ciclos é bom. A partir do terceiro ciclo que se fecha o bananal e começa a ocorrer a competição entre plantas e volta à produção para quinze meses”, definiu. Durante a visita de campo os aspectos abordados foram espaçamento de plantas, nematóides, uso de defensivos, incidência de luz, solo misto, e ficou o destaque, nos tratos culturais, sendo o mais importante o desbaste das folhas para evitar sombras, “se a distancia entre plantas é de 2 m o desbaste terá que ter uma distancia de 3 a 4 m para a entrada de luz”, orientou professor João Aleixo. Autorizada a reprodução desde que citada a fonte: Jornal Pires Rural - Limeira - www.dospires.com.br
© 2013 - Jornal Pires Rural