AGRICULTURA FAMILIAR

Feira do Produtor Rural começa em 4 de junho

A população limeirense poderá contar, com a “Feira do Produtor Rural”, que funcionará todas as quartas-feiras, das 17h às 21h, no Parque Cidade.

Edição 151 - Maio 2014 - Cibele Gianechini - jornalista Secretaria Municipal de Comunicação Prefeitura de Limeira/SP - Foto: Jornal Pires Rural

Foto:Jornal Pires Rural
A família Dainese, no sítio do bairro Tatu, desde 1943.
Inicialmente, serão dez barracas vendendo alimentos produzidos dentro do sistema de agricultura familiar, como frutas, verduras, legumes e suco de laranja. Também haverá a venda de alimentos processados artesanalmente, como pães, bolos, geleias e compotas. A iniciativa é da Prefeitura de Limeira - por intermédio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente - em parceria com a Associação Viva Pires, que reúne cerca de 30 produtores.

As barracas serão padronizadas e instaladas no gramado ao lado do estacionamento do parque. De acordo com o presidente da associação, Marcel Menconi, o local foi escolhido porque é uma região que concentra bastante movimento no final da tarde. “As pessoas que frequentam o espaço para a prática de exercícios físicos têm uma preocupação maior com a saúde, e provavelmente, irão investir em uma alimentação mais saudável”, afirmou.

Outra proposta da prefeitura é eliminar intermediários no processo de comercialização dos produtos, promovendo o contato direto do produtor rural com os consumidores. “Com a feira, o produtor terá uma remuneração mais justa pela sua produção”, diz Menconi. Parte dos alimentos produzidos em Limeira, segundo ele, é encaminhada ao Ceasa, que por sua vez, revende esses hortifrútis aos hipermercados de Limeira. “A feira será um importante incentivo do poder público aos agricultores locais, para que eles consigam uma renda maior e tirem o sustento da própria terra”, salientou.

Para o secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Alquermes Valvassori, esse modelo de produção traz benefícios ao meio ambiente, ao fixar a família de produtores no campo e evitar que a propriedade seja loteada para chácaras de lazer. Além disso, ele espera que com o tempo, mais agricultores possam aderir à proposta. “A feira irá responder positivamente aos anseios dos agricultores, que poderão colocar seus produtos no mercado”, frisou.

A família Dainese, que tem um sítio no bairro Tatu, desde 1943, está confiante em relação à iniciativa. Conforme Luciano Dainese, a feira representa a possibilidade de obter uma renda extra, além de uma possibilidade de divulgação dos alimentos produzidos, como milho e hortaliças. “É a primeira vez que venderemos diretamente ao consumidor, pois não temos ponto de venda”, revelou.

Donos do sítio "Chácara Pinhal", no bairro do Pinhal, a família Schnoor é outra que nunca participou de nenhuma venda direta ao consumidor. A família é descendentes de imigrantes alemães e chegou a Limeira em 1880. De acordo com Lutero Gustavo Schnoor, a feira será uma boa oportunidade para vender as hortaliças que produzem no local. “Esse sistema será vantajoso tanto para quem compra como para quem vende”, disse.
SOBRE A AGRICULTURA FAMILIAR

De acordo com a Lei nº 11.326/2006, a agricultura familiar é produzida em pequenas propriedades, utiliza predominantemente mão de obra própria; e obtém renda das atividades econômicas vinculadas ao próprio estabelecimento.

Segundo o Censo Agropecuário de 2006, ela é responsável por garantir boa parte do sustendo familiar no Brasil, configurando-se como importante fornecedora de alimentos para o mercado interno, sendo responsável por 87% da produção nacional de mandioca; 70% da produção de feijão; 46% do milho; 38% do café; 34% do arroz e 58% do leite.
© 2013 - Jornal Pires Rural